Cornudo, chifrudo, corno manso… Todo brasileiro já ouviu esses xingamentos. Por aqui também são muito comuns as piadas sobre homens traídos ou a velha história da “filha da prima da vizinha que trai o marido corno e todo mundo sabe” — menos ele, que é “sempre o último a saber”.

Apesar das ofensas, sempre existirá alguém que vai se excitar com coisas que são abominadas por alguns. O tesão em ser corno é um dos fetiches mais comuns nas buscas da internet e é sobre ele que falaremos nesse pequeno guia dos cornos. 

O corno é uma figura que faz parte da nossa cultura, povoa as letras de música sertaneja, a literatura de cordel e, claro, a internet. A pornografia tem seções bem extensas dedicadas aos chifrudos e é por isso que neste texto vamos mostrar o melhor do pornô nacional de corno. Quem tem o fetiche cuckold pode muitas vezes se perguntar “como faço para conseguir ser corno?”. Vamos tentar responder a essa questão, assim como dar dicas para namoradas e esposas e também para os candidatos a comedor de casada terem sucesso.

Nosso texto está cheio de links com excelentes conteúdos relacionados aos subtemas que serão citados. Assim sendo, sua experiência com o assunto pode se tornar mais enriquecida se você navegar por esses links também.

Tenha uma boa leitura!

Significado de corno

Imagina um mundo em que é possível pedir por telefone um pirocudo para saciar sua hotwife? Veja no vídeo acima.

Corno, além de ser um substantivo sinônimo de chifre, é o adjetivo pejorativo mais utilizado para designar o homem que foi traído. No entanto, assim como diversos xingamentos e gírias, seu significado acabou sendo generalizado e, muitas vezes, o homem que recebe essa designação não sofreu de fato uma traição (não que ele saiba, né?). O xingamento pode ser empregado da mesma forma que “filho da puta”, por exemplo.

Independentemente da ofensa contida no termo corno, os adeptos do fetiche cuckold na verdade sentem tesão e até se orgulham de serem chifrudos. Nas redes sociais de swing, fetiche e em sites especializados, os cornos não se sentem nem um pouco ofendidos com a denominação, alguns até sonham com o dia em que finalmente poderão ser chifrados.

Origem da palavra corno

De acordo com o verbete da Wikipedia sobre a gíria corno, o nome teria surgido de uma lenda na qual a cabeça do homem traído começa a doer e nascem chifres na região da testa. Outra teoria para a origem do termo menciona que na Europa medieval o homem traído deveria lavar sua honra com sangue, matando a esposa e o amante. Se ele falhasse, era hostilizado, recebendo uma peruca de touro com dois chifres.

Outra versão da história se relaciona a uma lei que vigorou no Brasil até o começo do século XX, que fazia parte das Ordenações Filipinas. Os chifres eram usados para marcar a mulher que tinha um amante e também o marido que consentia com a traição. Dizia um trecho das Ordenações:

E sendo provado que algum homem consentio a sua mulher, que lhe fizesse adultério, serão elle e ella açoutados com senhas capellas de cornos, e degradados para o Brazil, e o adultero será degradado para sempre para a África, sem embargo de o marido lhes querer perdoar.

Significado de cuckold

Ver a companheira numa cena como no gangbang com a Emme é o sonho de muitos cuckolds

Cuckold é o termo da língua inglesa que equivale a corno. A palavra cuckold é derivada dos pássaros conhecidos como cuco, isso porque eles colocam seus ovos nos ninhos de outros pássaros. No Brasil o termo é bastante utilizado pelos fetichistas talvez por soar menos ofensivo do que a palavra corno, apesar de ter o mesmo significado. A versão encurtada “cuck “também é popular.

O comedor é conhecido na gringa como bull, ou seja, touro. A palavra reforça o aspecto de dominância geralmente exercido pelo homem que vai transar com a comprometida, bem como o de submissão do cuckold, que é visto como um macho menos poderoso que o comedor, que é o verdadeiro alfa.

O termo cuckold serve como marcador para uma ampla gama de práticas de fetiche, que pode envolver um companheiro sendo traído pela mulher sem participar, apenas a observando ou, ainda, atuando de forma ativa durante o sexo com o outro parceiro. Há a variante “bisexual cuckold”, na qual o companheiro também interage com o comedor. 

Pornô de corno

O vídeo acima é o pornô com maior número de visualizações na categoria corno. Acharam merecido?

Todos as palavrinhas que mencionamos nos tópicos anteriores podem ser utilizadas para encontrar diversos materiais de pornografia relacionados ao fetiche cuckold. Por ser uma fantasia que nem sempre é fácil de ser executada, a pornografia muitas vezes faz o papel de válvula de escape, inspirando e saciando os desejos dos aspirantes a corno. E também mantendo acesa a chama daqueles que já praticam o fetiche.

Os pornôs de corno variam muito entre si: há os pornôs amadores, muitos deles feitos por casais liberais que compartilham suas aventuras, há os “tipo amador” feitos por atrizes e atores encenando situações mais reais e há os produzidos, nos quais os atores encenam situações de cuckold que povoam a cabeça enfeitada dos fetichistas, mas com direito a excelente qualidade de câmera, fotografia, luz, som e edição. Qual tipo você prefere?

Aqui no Safada.tv temos de todos os tipos. Afinal, estamos sempre preocupados em contribuir para a cultura chifruda com o melhor do pornô de corno nacional! A seguir, separamos para vocês alguns dos nossos filmes de cuckold disponíveis na nossa plataforma de vídeos.

Pornô de corno no Safada.tv

Os pornôs de corno como esse acima costumam estar no top 10 mais assistidos no Xvideos do Safada.tv.

Uma das fantasias preferidas entre nove a cada dez cornos é que sua mulher tenha à sua disposição picas enormes. Outro desejo muito popular entre os cuckolds é ver os registros em vídeo da esposa para ter recordações do prazer que aquela traição proporciona. Além disso, eles também curtem a ideia de ver a esposa tendo seu momento “atriz pornô” e a sensação de humilhação pode ser potencializada pelas fotos e vídeos. Muitos casais liberais costumam filmar suas aventuras em verdadeiros pornôs amadores.

A Melissa Lisboa realizou essas duas fantasias em um só vídeo e se revelou uma excelente hotwife ao ligar para o marido corno e avisá-lo que ia transar e filmar sua foda com os dois candidatos a jardineiro que estavam na sua casa para entrevista. Um deles é interpretado pelo Nego Catra e o outro pelo anão do pau gigante Pistolinha. Neste link você poderá ter acesso ao vídeo.

A Yara Rocha é uma especialista em pornôs de corno, a prova é este filme, no qual ela liga para o marido e descobre que ele está no puteiro. Ela então resolve se vingar e se exibe de biquíni para o piscineiro, interpretado pelo Nego Catra.

Uma das provas de que o fetiche cuckold ganha cada vez mais espaço foi mostrada no Prêmio Sexy Hot de 2017. O filme Loucuras de Casal, premiado na categoria Melhor Filme Hétero, conta com uma maravilhosa cena de cuckold. Depois de trazer a sobrinha pra dar um trato no marido, a Elisa Sanches teve sua retribuição. Capoeira levou o amigo Nego Catra para deixar a esposa bem satisfeita com duas rolas.

Lembrando que no canal do Safada.tv do Xvideos você encontra diversos pornôs de corno grátis.

Pornô de corno amador

A exibicionista Thay Ksada dá o nome (e muito mais) nas suas aventuras cuckold

Quem ama pornô amador e se interessa por cuckold vai adorar saber que a pornografia tem um vasto arsenal de pornôs amadores de corno. Neles, as esposinhas fogosas são reais e as fodas ainda mais verídicas. 

A Thay Ksada é uma das esposas mais quentes da internet, aqui falamos sobre ela e suas aventuras se exibindo para outros homens com a aprovação total do seu marido.  

Uma parte dos fãs de pornô amador prefere as filmagens em alta qualidade, assim como boa iluminação e som. Afinal, assim dá para ver melhor os paus imensos saciando as esposinhas dos cornos, certo? Quem tem esse perfil vai adorar o filme dos Black Brothers na Pegação, no qual ela encara a rola preta enquanto o marido (sim, eles são casados de verdade) assiste tudo. Neste outro filme, a loira retribui: primeiro transa com o marido e uma amiga. Depois ela se entrega a um ménage com dois dotados e com direito a tudo a que uma hotwife mais ama. 

Corno casado com hotwife bi

três gostosas encostadas num carro
Ver a mulher tendo prazer com as amigas também pode seu uma fantasia cuckold

Vale lembrar que para ser corno não existem muitas regras; o único denominador comum é o chifre. Desta forma, há  muitas esposinhas que preferem trair o marido com outras mulheres, afinal o corno não tem aquilo os que as amigas têm — e isso pode tornar tudo mais interessante. Um exemplo de aventura com hotwife bisexual é o deste post onde falamos sobre o filme em que duas loiras casadas transam enquanto os maridos viajam a negócios.

Alguns casais amam essa “traição combinada” feita com outras mulheres. O casal pode se sentir mais seguro dessa forma, pois algumas esposas não se sentem à vontade para transar com outros homens. A prática também pode ajudar aqueles mansos que ainda têm apego ao sentimento de ciúmes a se sentirem menos ameaçados se a outra peça do relacionamento for uma mulher. Além disso, há aqueles que amam a sensação de não ter “aquilo” o que a outra tem, então para os chifrudos que curtem uma humilhação essa ideia pode ser deliciosa.

Fora isso tudo, não preciso nem dizer que mulher transando com mulher é uma delícia, né?

De qualquer forma, é importante que os dois elementos do casal se sintam confortáveis com sua decisão antes de partirem para a busca de um terceiro elemento (neste caso uma “elementa”). Mulher, fique esperta: se você tem vontade de transar com outros homens também e aceita transar apenas com outras mulheres em razão do ciúmes do maridão isso pode ser um péssimo negócio. Nunca deixe de reivindicar seus desejos dentro do relacionamento. 

Pornô de corno com mulher bi

Dri sexy enchendo a boca de leite
Maravilhosa a Dri Sexy, né? Vem conferir a novinha traindo o namorado com outra mulher

Quem curte essa fantasia vai amar o filme com a Dri Sexy. Na história, Sandra e Ricardo são um casal que curtem juntos explorar novas pessoas. A questão é que o “juntos” não é algo que eles explicam totalmente a esses convidados. Beatriz foi uma das mulheres que caiu na lábia de Sandra, e se juntou a ela para uma tarde peculiar no jardim. Elas transam com a promessa que o marido não estava por lá, porém tudo foi uma armação para que Ricardo pudesse assistir tudo pela janela. Quer ver a novinha traindo namorado com a amiga gostosa? Clica aqui.

Os cornos que curtem “mulher com mulher” também vão amar a categoria punheta guiada, na qual as gostosas dominadoras o contam tudinho o que vão fazer com os machos alfas e humilham os chifrudos das mais diversas formas. A Emme White e a Lis fizeram uma punheta guiada especialmente para quem ama ser corno e curte humilhação, veja abaixo:

Pornô de corno com a Emme White

Esse é o tipo de imagem que os cornos amam ver enquanto a esposa se diverte

No nosso post super completo que é quase uma biografia da atriz pornô Emme White, mencionamos o filme em que ela interpreta uma noivinha infiel, que na despedida de solteira presenteia a si mesma com uma foda bem gostosa com outro cara.

E por falar em Emme White, no filme Mulher de Malandro ela interpreta uma casada fogosa que está um pouco insatisfeita com sua vida sexual. Ela acaba se envolvendo com uma vizinha, a Bia Roman, e as duas são flagradas pelo marido, interpretado pelo Nego Catra. No que será que essa trama deu? Confira no nosso post.

Neste outro filme, dois seguranças “cuidam” da Emme White enquanto ela está com o pé quebrado. O marido foi  viajar e alguém tinha que ficar com ela, certo? Falamos aqui no blog sobre os bastidores desse filme pornô, veja.

Como ser corno?

Exibir-se como a Danny Mancinni pode ser um começo para quem não tem coragem de fazer cuckolding

Muitos homens que têm o fetiche de cuckold percebem bem cedo essa tendência: ainda na adolescência se sentem atraídos pelos pornôs desse gênero e começam a sonhar em ter um relacionamento no qual a mulher tope ser compartilhada durante uma putaria. 

No começo pode parecer fácil: afinal qual mulher heterossexual não ia amar ser o centro das atenções de vários homens? Se as atrizes pornô amam, deve ser bem fácil então! O problema é que todos nós, homens e mulheres, somos educados com valores que nos fazem achar errado quando a mulher transa com mais de um homem. Ainda mais se ela estiver dentro de um relacionamento.

Nisso, os desejos, sonhos e devaneios dos aspirantes a corno vão ficando cada vez mais distantes de se realizar. O sentimento de culpa também começa a perseguir os simpatizantes desse fetiche e é comum que uma voz interna diga para eles “como assim você vai permitir que sua mulher seja comida por outro? Você sente prazer com isso? Isso está errado, seja homem!”.

Este estudo entrevistou alguns casais que praticam swing em Portugal. Um dos homens que foi ouvido relatou suas dificuldades em se descobrir cuckold. Ele explica que imaginar a esposa com outro homem o faz sentir ciúmes e medo, mas que esses sentimentos aumentam a excitação. No entanto, ele ainda não sabe se está preparado para realizar sua fantasia e refere a seu fetiche como algo “esquisito”, “difícil de explicar”, “que eu próprio não compreendo”.

Segundo ele, possivelmente seria muito mais fácil se o desejo fosse ver a esposa com outra mulher, pois é isso que acontece com a maioria dos homens.

Ser corno é uma doença?

Todos esses questionamentos e dificuldades que podem surgir na vida dos praticantes de cuckold podem levar a problemas psicológicos. No entanto, vale lembrar que um fetiche em si nunca é necessariamente uma doença, tudo vai depender de como o praticante de relaciona com esse aspecto de sua sexualidade e se aquilo causa abusos a ele e a outras pessoas. 

O estudo citado no tópico acima também menciona que uma das particularidades do fetiche cuckold é que ele coloca a noção de masculinidade à prova. Isso porque todas as regrinhas inventadas sobre “ser homem” formam um “conjunto de atributos morais de comportamento que é socialmente sancionado. (…) Na nossa cultura o masculino ainda está associado a ser dominador e ter várias parceiras sexuais, fazendo com que a figura do cuckold seja uma ameaça a este processo”.

Enfim, diante desses sentimentos negativos que podem surgir é importante que o fetichista sempre se questione e deixe o espaço para dialogar com a parceira. Saber equilibrar a busca da realização de fantasias com aquilo o que é confortável para todos envolvidos é essencial para conseguir ser feliz na cama. Também é importante buscar orientações com profissionais de saúde especializados em sexualidade. 

Por que eu gosto de ser corno?

Dizem que chifre trocado não dói? Vem descobrir neste post

Entender a fascinação por qualquer fetiche que envolva ser deixado de lado ou ser humilhado não é fácil. Muitas pessoas associam isso a traumas, a inseguranças, mas nem sempre é verdade. Há homens que são super dominantes nas mais variadas esferas de suas vidas e que curtem ser subjugados como corno. Talvez como uma forma de compensação? Talvez.

As causas dos fetiches podem ser as mais variadas e atuar em conjunto, cada uma entra com um pouquinho de influência e assim formam uma personalidade fetichista única.

Nesta entrevista, o escritor Chris Ryan fala sobre seu livro no qual acompanhou diversos casais cuckolds. Ele cita algumas causas que observou apontadas como associadas a fetiche em ser corno, dentre os quais estão: voyeurismo, competição por esperma, a atração pelo tabu, bissexualidade, não se sentir fisicamente capaz, realização sexual feminina, masoquismo, sensação de ser o principal na vida da companheira apesar do sexo com outros e até mesmo o fator de humilhação da esposa.

Minha mulher não quer me chifrar, e agora?

No pornô acima, o marido apostou a esposa num jogo de sinuca e perdeu. Mas saiu comemorando, pois ela foi muito bem fodida.

Da mesma forma que ser homem envolve uma série de expectativas de comportamentos, ser mulher é uma experiência ainda mais difícil. Afinal, nascer e crescer sendo ensinada a se comportar como uma mocinha “decente” acaba fazendo com que muitas mulheres nunca realizem nenhuma de suas fantasias sexuais. Isso pode ficar ainda mais confuso dentro de um relacionamento estável, porque é esperado que as esposas sejam completamente fieis.

Algo muito frequente entre os casais cuckold é que a mulher não aceite a ideia de que o companheiro sente prazer em vê-la com outros homens. Algumas pensam, inclusive, que esse desejo significa falta de amor, pois também nos é ensinado que ciúme é sempre algo positivo. Mas calma, há muitos homens que após alguma insistência conseguem liberar a hotwife que existe dentro de sua esposa.

Como convencer minha mulher a me chifrar?

Se você deseja vê-la com outros homens é preciso antes de tudo superar a possessividade e o ciúmes, caso contrário ela sentirá que seu fetiche é uma ameaça ao relacionamento. Além disso, o ciúmes antes e depois da realização dos fetiches pode aos poucos fazê-la perder a vontade de te chifrar.

Antes de embarcar no fetiche em ser corno, é importante deixar sua esposa segura de seu amor e respeito por ela, afinal, outra expectativa da sociedade sobre as mulheres envolve a devoção total ao companheiro, muitas vezes até no papel contrário: fazendo vista grossa para as traições masculinas. É preciso que você desfaça essas ideias e aos poucos construa aquilo o que deseja para o relacionamento.

Se você gosta que sua esposa se exiba, elogie constantemente sua aparência e seu comportamento, faça-a entender que você a vê como uma mulher forte e admirável. Aliás, essa dica vale para todos os relacionamentos: cuckold ou não. Todo relacionamento saudável inclui admiração pelo parceiro.

O exibicionismo costuma ser uma porta de entrada para a realização de outros fetiches, por isso, estimulá-la a se sentir sensual, fazer fotos mais ousadas, dentre outras atitudes, podem ser ferramentas poderosas para a mulher ganhar mais confiança. 

Como conversar com a parceira sobre a vontade de ser corno?

No vídeo acima, a loira casada castigou o marido corno depois de transar com o amante na frente dele.

Um diálogo sincero e constante entre o casal é super importante para que os dois cheguem em um denominador comum, em que ambos se sentirão confortáveis e realizados com a vida sexual. Este artigo propõe algumas perguntas que o casal pode fazer durante esse diálogo, tais como:

  • No que o cuckolding te excita?
  • Isso é apenas uma fantasia ou algo que você realmente deseja tentar?
  • Quão longe você gostaria de levar isso?
  • Como você acha que isso beneficiará nosso relacionamento?

Entretanto, nem sempre é o momento certo para ter uma conversa séria, apesar de ela ser fundamental. Assim sendo, assistir filmes pornô é uma excelente ferramenta para o casal comunicar fetiches um ao outro de forma descontraída. Se você tem desejos em ser corno, que tal mostrar filmes para sua parceira e ver se ela se excita com a ideia?

Como ser uma hotwife?

E aí, cornos, o que acham dessa cena da Giovana Bombom?

Hotwife é o nome em inglês dado a mulher que ama dar prazer ao marido através do sexo com outros homens. Se você é uma delas e já encontrou seu corno manso: parabéns! Mas existem alguns casos raros de mulheres que têm o fetiche em ser uma hotwife e que estão bem resolvidas com seus desejos, mas não sabem como propor ao parceiro.

Neste caso valem todas as dicas mencionadas nos tópicos anteriores: diálogo aberto, autoconhecimento sobre seu próprio fetiche e estabelecer segurança, amor e respeito dentro da relação antes de fazer coisas novas.

Além disso, que tal propor situações menos ousadas e que talvez pareçam mais vantajosas a ele? Por exemplo, sugerir que vocês transem com um casal pode ser uma forma de começar a dar os primeiros passos nesse fetiche. Existe a chance de ele curtir a situação e o ciúmes deixar de ser um problema, afinal ele também estará recebendo prazer de outra mulher.

Trabalhar o ciúmes também é super importante, afinal uma hotwife que morre de ciúmes do parceiro pode acabar estabelecendo uma relação bem abusiva e causando o efeito contrário do esperado. Às vezes o ciúmes pode ser visto como um tempero para o relacionamento, mas a não ser que ele seja um roleplay que dá tesão em ambos, tente sempre repensar as questões sobre possessividade e insegurança. “Quem quer rir, tem que fazer rir”, já dizia o ditado.

Como ser um comedor de casadas?

No universo cuckold essa é a pergunta de um milhão de reais. Não é leviano dizer que 95% das publicações de blogs e redes sociais desse universo contam com a presença dos comedores de casadas. Eles lotam as caixas de comentários, afoitos no intuito de conseguir se tornar o bull preferido de um casal.

A primeira realidade que comedores de casadas precisam encarar é que a concorrência é muito forte. Para as mulheres, conseguir sexo sem compromisso é algo muito fácil. Não importa aparência, idade… É fácil.

Aliás, você, comedor de casada, imagine-se no lugar do corno. Primeiro: que tipo de perfil te chamaria a atenção na internet? Caras sem foto, escrevendo que são dotados, contando que são comedores experientes, mas sem nenhum sinal de qual aquele perfil é real? Ou homens com perfis mais completos, com foto, descrição?

Segundo: que tipo de comportamento você esperaria de um homem que vai transar com sua mulher? Você provavelmente desconfiaria de homens que se oferecem a estranhos. Logo, ficar apenas nessas abordagens de internet é tempo perdido. No máximo você vai conseguir contatos de outros homens interessados em você.

Como ser um comedor de casadas de sucesso?

Ser um comedor de casadas é o sonho de muitos machões por aí

Essa é pergunta que vale dois milhões de reais. Acima você viu o que não fazer. Agora vamos falar sobre o que pode funcionar para você conseguir ser um bull querido entre os casais.

Primeiramente você deve frequentar locais reais. Casas de swing podem ser um bom começo, procure por festas especializadas em cuckold. Se não achar, tente ir à casa de swing acompanhado de uma mulher, afinal o preço para homens solteiros é absurdo e a presença deles nem sempre é vista com bons olhos.

Seja simpático, tenha paciência e não aborde os casais de forma abrupta, espere um primeiro contato. Se não rolar, tente fazer amizades. Desta forma você conseguirá se aproximar de casais liberais. A amizade é um passo muito importante para conseguir ser um comedor de casadas, pois acima de tudo é muito importante que ambos confiem em você. Não pule etapas, contatos e amizades de décadas às vezes se transformam no negócio perfeito para os comedores de casadas.

É fato que aprendemos desde cedo que propaganda é a alma do negócio, mas sair falando por aí de todas as esposas que você já comeu terá o efeito contrário no meio cuckold. Tente não parecer que está contando vantagem, mas não deixe de se mostrar experiente e disponível para os casais.

Conclusão sobre cornos e cuckolds

Esse fetiche não é algo simples, afinal ele envolve muitos tabus e também depende de pelo menos três pessoas enfrentando todos esses preconceitos. Espero que os tópicos desse texto tenham te ajudado a entender todas as facetas do cuckolding e as dificuldades que podem surgir na obtenção do tão almejado par de chifres.

Mas são justamente todos esses tabus que acabam tornando esse fetiche tão fascinante e adorado por muitos. Passar por cima de cada um dos obstáculos e julgamentos sociais pode ser um caminho bastante gratificante. 

Se você é um corno iniciante, não se deixe dominar pelo medo e pela culpa. Leia artigos, veja vídeos sobre o tema, converse com pessoas íntimas e com um psicólogo de confiança. Os desejos reprimidos costumam resultar em frustrações, por outro lado a prática de fetiches de forma impulsiva também. Por isso é fundamental que a decisão de se tornar ou não um fetichista praticante venha somente após muita reflexão.

Se você é uma hotwife, lembre-se sempre que além da culpa, os sentimentos de inadequação social também podem surgir, então é importante que você pratique seu fetiche com pessoas de confiança e que estejam preocupadas com a sua segurança emocional.

Se você é um comedor de casadas, eu te desejo boa sorte. Brincadeira! Onde existe demanda tem que existir oferta, certo? Enfim, ter requisitos simples como noção, respeito e educação podem te colocar muitas posições à frente dentro do universo cuckold.